LITURGIA DE 11 DE JANEIRO DE 2019

LITURGIA DE 11 DE JANEIRO DE 2019

LITURGIA DE 11 DE JANEIRO DE 2019

SEXTA FEIRA – SEMANA EPIFANIA
(branco, pref. da Epifaniaou do Natal – ofício do dia)

Antífona da entrada

– Para os retos de coração surgiu nas trevas uma luz: o Senhor cheio de compaixão, justo e misericordioso (Sl 111, 4).

Oração do dia

– Ó Deus todo-poderoso, que o Natal do salvador do mundo, manifestado pela luz da estrela, sempre refulja e cresça em nossas vidas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: 1 Jo 5, 5,13

– Leitura da primeira carta de são João – Caríssimos: 5quem é o vencedor do mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus? 6Este é o que veio pela água e pelo sangue: Jesus Cristo. (Não veio somente com a água, mas com a água e o sangue.) E o Espírito é que dá testemunho, porque o Espírito é a Verdade. 7Assim, são três que dão testemunho: 8o Espírito, a água e o sangue; e os três são unânimes. 9Se aceitamos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior. Este é o testemunho de Deus, pois ele deu testemunho a respeito de seu Filho. 10Aquele que crê no Filho de Deus tem este testemunho dentro de si. Aquele que não crê em Deus faz dele um mentiroso, porque não crê no testemunho que Deus deu a respeito de seu Filho. 11E o testemunho é este: Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho. 12Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho não tem a vida. 13Eu vos escrevo estas coisas a vós que acreditastes no nome do Filho de Deus, para que saibais que possuís a vida eterna.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 147B, 12-13.14-15.19-20 (R: 12a)

– Glorifica o Senhor, Jerusalém!
R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!

– Glorifica o Senhor, Jerusalém! Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! Pois reforçou com segurança as tuas portas, e os teus filhos em teu seio abençoou.
R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!

– A paz em teus limites garantiu e te dá como alimento a flor do trigo. Ele envia suas ordens para a terra e a palavra que ele diz corre veloz.
R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!

– Anuncia a Jacó sua palavra, seus preceitos, suas leis a Israel. Nenhum povo recebeu tanto carinho, a nenhum outro revelou os seus preceitos.
R: Glorifica o Senhor, Jerusalém!

Aclamação ao santo Evangelho

Aleluia, aleluia, aleluia.
Aleluia, aleluia, aleluia.

– Jesus pregava a boa-nova, o reino anunciando, e curava toda espécie de doenças entre o povo (Mt 4,23).

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 5, 12-16

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas.
– Glória a vós, Senhor!

– 12Aconteceu que Jesus estava numa cidade, e havia aí um homem leproso. Vendo Jesus, o homem caiu a seus pés, e pediu: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar”. 13Jesus estendeu a mão, tocou nele, e disse: “Eu quero, fica purificado”. E imediatamente, a lepra o deixou. 14E Jesus recomendou-lhe: “Não digas nada a ninguém. Vai mostrar-te ao sacerdote e oferece pela purificação o prescrito por Moisés como prova de tua cura”. 15Não obstante, sua fama ia crescendo, e numerosas multidões acorriam para ouvi-lo e serem curadas de suas enfermidades. 16Ele, porém, se retirava para lugares solitários e se entregava à oração.

– Palavra da salvação.
– Glória a vós, Senhor!

Liturgia comentada

Tocou nele… (Lc 5,12-16)

Sim, Jesus estende a mão e toca o leproso. Toca o intocável. Toca o homem de quem todos fugiam, mantendo distância. E Jesus o cura num relance. Que acontece ali? Sigamos a visão do Pe. Serge Traore:

“Para curar um leproso, dizem-nos que Jesus ‘estendeu a mão e o tocou’. Que audácia em tocar um leproso! Teria verdadeiramente a necessidade de tocá-lo? Absolutamente! Ele poderia curá-lo sem o tocar. Mas, refletindo bem, direi com certeza: sim! Naquele momento, ele tinha necessidade de fazê-lo, do contrário não o teria feito. É significativo o fato de que os evangelistas atestam que Jesus “estendeu a mão”. Bastaria dizer: “ele o tocou”. Teríamos compreendido que ele havia estendido a mão para o tocar.

A descrição é importante. Ela nos transporta ao coração de Jesus. Ao estender a mão, ele quer, deseja, ele sente isto como uma necessidade de tocar o outro. E também ele experimentará uma sensação. Ele toca a lepra! Que sensação poderia ser essa? Eu me pergunto isto. Quanto ao leproso, ele sente que a lepra o deixa e sente-se purificado: “No mesmo instante, a lepra o deixou e foi purificado”. Eu imagino uma sensação de libertação, de bem-estar, de limpeza, de renascimento. A cura se opera nessas sensações tácteis. “A subida para as alturas é possível quando o homem nas profundezas é capaz de experimentar fortes sensações de vida.”

Este é o nosso Deus. Diferente do Deus altíssimo, transcendente, fora de nosso alcance, que se apresentava oculto na nuvem do Antigo Testamento, o Deus na carne, Jesus Cristo, quer tocar e ser tocado. Um toque em suas vestes, e está curada a mulher com o fluxo de sangue. Um toque de Jesus nos olhos, e o cego passa a ver. Um toque nos ouvidos e na língua, e o surdo-mudo ouve e fala.

Como bem observa o Pe. Serge Traore, “esta força não circula em volta dele, não é como um fruto sobre uma árvore. Esta força brota do contato físico com o humano sofredor. O contato produziu um novo nascimento, uma nova Criação”.

E pensar que Jesus espera por nós na Eucaristia, não só para ser tocado, mas para ser tragado, como nosso alimento. Ele já disse: “Se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós”. (Jo 6,53)

Orai sem cessar: “Se ao menos tocar em seu manto, serei curado…” (Mt 9,21)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança
[email protected]